Compartilhe

BRASIL| Funcionários da RedeTV! confirmaram, em assembleia realizada na tarde de hoje, que entrarão em greve. A emissora afirmou que a argumentação utilizada pelo sindicato está “desvinculada da realidade”. A RedeTV! também afirmou que a decisão foi tomada sem a participação da maioria dos colaboradores

Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho são os acionistas da RedeTV!

Segundo o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, os trabalhadores são registrados como radialistas, ainda que boa parte não desempenhe funções da categoria, e não recebem reajuste ou abono há quatro anos.

A RedeTV! lamentou que o Sindicato tenha realizado assembleia na qual não estava presente a maioria de seus milhares de colaboradores para decretar o estado de greve. Isso prejudica o trabalho dos demais colaboradores que não concordam ou apoiam tal movimento.

A emissora também destacou não ter realizado cortes em sua folha de pagamentos durante o período afetado pela pandemia da covid-19, iniciado em março de 2020. Segundo o comunicado, a atitude afetou os rendimentos da empresa.

A argumentação apresentada pelo Sindicato é totalmente desvinculada da realidade, sabendo que o setor de comunicação foi um dos mais gravemente afetados pela pandemia covid-19 e que a RedeTV!, ao contrário de outras empresas do meio que notoriamente praticaram grandes cortes de folha de pagamento durante o período, não o fez. A RedeTV! seguirá desempenhando as suas funções com os colaboradores que refutam tal movimento.

O Sindicato também argumenta que os empregados da empresa tiveram os salários reduzidos em 25% durante oito meses de 2020 por meio do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda.

Relação com governo.

Segundo o colunista do UOL Ricardo Feltrin, a greve definida por tempo indeterminado envolve câmeras, operadores de vídeo, produtores, editores de imagem, advogados, trabalhadores de recursos humanos, secretários, secretárias, copeiras, faxineiras, seguranças e até professores de educação física da RedeTV!.

Para o sindicato, a RedeTV! usou o programa do governo mesmo com as demonstrações “notórias e públicas” de ganhos publicitários nos últimos três anos. Nesse período, além dos sorteios de prêmios que ajudam a manter a receita da RedeTV!, a emissora fechou contratos milionários com a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras, Ministério da Saúde, Ministério da Educação.


Compartilhe