Compartilhe

Documentos para comprovação de comorbidades eram vendidos a R$ 20

Policiais civis do Rio de Janeiro prenderam, nessa quinta-feira (27), um médico e o dono de uma clínica, também médico, pela venda de atestados falsos de comorbidade.
Os documentos seriam utilizados para ‘furar’ a fila de vacinação contra a Covid-19.

Segundo os agentes da Delegacia de Defraudações (DDEF), cada atestado era comercializado a R$ 20 em uma clínica localizada no bairro Pilares, na zona norte da cidade.

Os atestados falsos eram vendidos no valor de vinte reais Foto: G1

O médico responsável pelos supostos documentos falsos declarava que o paciente possuía uma doença incluída no rol do Ministério da Saúde, fazendo com que a pessoa burlasse a prioridade para imunização contra o coronavírus.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que vai continuar as investigações para identificar os compradores dos atestados.

CNNBrasil


Compartilhe